Em busca de companhia na quarentena, aumenta número de adoções de pets nos EUA

Um abrigo americano registrou um aumento de pedidos significativo nessa última semana.

Em meio a pandemia do coronavírus, podemos perceber ainda mais atitudes louváveis que fazem de nós mais humanos. Solidariedade com os mais vulneráveis, divulgação espontânea de métodos de prevenção, doações... Ao redor do mundo, todas as comunidades estão engajadas no combate ao inimigo invisível. Portanto, temos sim motivos para nos orgulhar de todo bem que somos capazes de produzir, especialmente em tempos como este.

A diretora de um abrigo de animais abandonados na cidade de Dedham em Massachusetts, nos Estados Unidos, tem se deparado com um significativo aumento no número de pessoas interessadas em adotar pets.

A movimentação tem influência da quarentena, já que, agora em casa, as pessoas procuram por companhia e, em muitos casos, dispõem de tempo integral para cuidar dos animais. No entanto, isso preocupa a diretora, Deni Goldman, que teme que o interesse possa ser temporário e que os adotantes não pensem em como serão suas rotinas após o período de resguardo.

“Segunda à sexta-feira, recebemos talvez de 75 a 100 pedidos. Desde segunda-feira (16), recebemos mais de 300 solicitações apenas nesta semana e definitivamente atribuímos isso às pessoas que estão em casa”, disse Goldman. Mesmo com tanta procura, a diretora quer se certificar de que as famílias permanecerão com os cães no futuro:

Foto: Reprodução/WBZ-TV
Foto: Reprodução/WBZ-TV

“Geralmente nos concentramos em famílias que têm horários mais flexíveis, que não deixam um cachorro trancado por um dia inteiro enquanto estão no trabalho". De fato, o momento requer muita coerência.

"A prioridade ainda são os cães, os colocando nos lares certos, com a dinâmica familiar certa, o ambiente certo, os horários certos", disse Goldman.

Foto: Reprodução/WBZ-TV
Foto: Reprodução/WBZ-TV

Que sejamos conscientes em nossas decisões, afinal, são vidas dependentes de nós que estão em jogo.

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários