Pit bull prestes a ser sacrificada estende a patinha para visitantes de abrigo e é adotada

Por
em Cães

Uma coisa é você optar não se comprometer em acolher um cachorro ou gato, e outra bem diferente e nenhum pouco admirável é adotar por achar um filhote muito fofinho e querer se desfazer assim que o animal cresce.

Isso é repudiável e deveria trazer punições a quem faz! Mas, infelizmente, é mais comum do que imaginamos e essa pit bull sentiu na pele a experiência de ser descartável.

Com apenas um ano, mas de porte médio, a cadela foi deixada pelo seu então dono num canil, em Jackson, Tennessee (EUA) e se não fosse brevemente adotada, ela seria sacrificada. Olha só quantas consequências uma adoção irresponsável pode causar.

Apesar de todas essas dificuldades no caminho, o destino reservava boas coisas para a pit bull. Ao visitar o abrigo, o casal Jon e Kayla Patel prenderam a sua atenção a ela, que diferente de todos os outros cachorros, não esboçava nenhuma reação para eles.

“Fui até sua gaiola, e ela estendeu a pata e, quando estendi a mão, ela enfiou a pata na gaiola e agarrei-a. Depois disso, eu disse: 'Temos que pegar esse cachorro'”, disseram ao The Dodo.

Assim foi e o casal decidiu que levaria a agora Ellie para casa, mas só poderiam buscá-la na segunda-feira seguinte, ao que foram alertados pelo abrigo sobre o ultimato:

“Se não viéssemos segunda-feira, teriam que sacrificá-la. Ela tem apenas um ano e, se a colocassem no chão, teria sido um desperdício de vida”.

Não podemos imaginar esse desfecho! Mas o casal cumpriu a sua palavra e na data combinada, voltou ao abrigo para buscar a sua mais nova filha, que feliz da vida, ganhou uma família de verdade.

“Ela não vai deixar você fora da vista dela — nunca. Mesmo se você sair da sala ... ela está atrás de você porque quer ficar de olho em você. Eu penso que ela apenas nos ama e quer estar perto de nós o tempo todo.”

Imagina só quanta alegria ela deve estar sentindo!

O casal ainda tem que lidar com o preconceito — descabido — das pessoas sobre a raça.

“As pessoas atravessaram a rua para evitar andar perto dela, porque ela é uma pit bull. Também temos muitos olhares de lado e as pessoas meio que murmuram sobre ela. Mas ela literalmente persegue borboletas o dia todo. Ela não vai machucar ninguém”, concluem.

Gente, olha essa carinha dócil! Eles só querem amor!

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com