Para superar fobia de cães, mulher resolve adotar cachorro que tinha medo de humanos

A história transformou a vida do cachorro que vivia em um abrigo e da mulher que já foi gravemente atacada.

Uma história de superação e muito amor entre um cachorro e a sua nova dona. Enquanto a canadense Teresa Hwang tinha fobia de cachorros por já ter sido brutalmente atacada, o cachorro Boo que vivia em um abrigo em Oakville, Canadá, tinha medo de humanos.

Após um tempo, Teresa estava disposta a superar os seus medos e decidiu adotar um cão. A partir disso, a professora de educação primária começou a pesquisar por cães de um abrigo e se deparou com o cachorro que não se adaptava em lugares barulhentos, com crianças, e que já havia passado por diferentes abrigos e lares até estar novamente disponível para adoção, o que acabou chamando a sua atenção.

“Quando conheci Boo, ele estava com medo e nervoso. Boo lentamente se escondeu atrás de sua mãe adotiva e deu alguns passos em minha direção. Quando me virei para olhar, ele me deu uma lambida no nariz e rapidamente se retirou e se escondeu atrás de sua mãe adotiva novamente. Sua mãe adotiva me lançou um olhar surpreso e respondeu: 'Uau. Isso é realmente estranho, ele não se aproxima das pessoas. Acho que ele escolheu você”, relembra.

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

O momento é claro, foi decisivo sobre a adoção do cão tímido.

No início, Boo se mostrava ainda receoso com a adaptação e não costumava comer, nem brincar na frente dos seus donos. Ele ficava nos cantos da casa e se assustava com todos os barulhos da casa, como da máquina de lavar.

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

Mas pouco a pouco, ele foi se familiarizando com a sua nova casa.

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

“Ele começou a se sentir seguro, notei que seu rabo começou a balançar nas caminhadas. Ele começou a comer na nossa frente. Algumas semanas depois, ele me lambeu no nariz. Alguns meses depois, ele começou a brincar com uma bola. Então, eu o ouvi latir pela primeira vez empolgado em nosso quintal. Com cada marco que testemunhei, chorei lágrimas de felicidade porque era como se Boo fosse um filhote de cachorro novamente e estivesse aprendendo a ser 'como um cachorro'.

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

A partir disso, Boo finalmente se sentiu seguro e em um lar de verdade. A experiência foi transformadora para ele e para a sua dona, que conseguiu lidar com a sua fobia.

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

“As pessoas também perguntam se eu superei a fobia do meu cachorro. Bem, não tenho medo de Boo, mesmo quando ele late ou rosna para comunicar excitação ou desconforto. Mas ainda estou nervosa com outros cães que não conheço. Mas é melhor. E eu sei que se um cachorro viesse atrás de Boo, eu o protegeria. Porque Boo não é o único que mudou. Ver Boo curar e crescer mudou a maneira como eu me vejo. Assim como com meus próprios filhos, cuidar de Boo me ensinou paciência e amor incondicional. ”

Foto: ketophoria / Instagram
Foto: ketophoria / Instagram

Que relato surpreendente, não é? Ficamos muito felizes com o desfecho dessa história.

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários