Cachorrinha abraça mulher que voltou para buscá-la em abrigo

Por
em Cães

Depois de experiências traumáticas, muitos animais acabam se tornando introspectivos e receosos com a aproximação de novas pessoas, mas, quando eles confiam em alguém, a sua alegria é restituída e eles conseguem se abrir novamente.

Foi o que aconteceu com a pequena Penny, uma mistura da raça corgi, que só tem um olho e vivia no abrigo Augusta Animal Services na Geórgia, EUA.

O destino de Penny se cruzou com o da voluntária Lia Domingo após a mesma ter ido até o abrigo para pegar um pit bull chamado Peety, em pedido do grupo de resgate de cães The Pixel Fund. Mas no último minuto, Deborah Kirkland, diretora executiva do The Pixel Fund, na Geórgia, perguntou a Domingo se ela também poderia levar Penny com ela, e o pedido foi aceito pela voluntária.

“Ela [Kirkland] havia ouvido que havia um cachorro chamado Penny com um olho machucado, e nenhum dos abrigos locais tinha interesse em ajudá-la. Quando a vi, fiquei de coração partido porque ela estava com muito medo e pouco receptiva. Ela estava muito nervosa. Ela nem queria me olhar no primeiro dia. Ela apenas se encolheu”, disse Domingo ao The Dodo.

Depois de ter pegado os dois cachorros, Domingo iniciou a viagem a caminho de Sparta, onde encontraria uma outra voluntária que iria assumir a responsabilidade dos cães, mas no meio de caminho, o abrigo ligou de volta e pediu que ela voltasse – a família do pit bull Peety havia telefonado para recuperar o cachorro, então ele precisava ser devolvido.

Para não ter que fazer duas viagens no dia seguinte, caso a família de Peety não aparecesse, Domingo optou em deixar Penny dormir no abrigo àquela noite e levá-la embora no dia seguinte.

“Eu dei um beijo nela e sussurrei ao seu ouvido: ‘Não se preocupe, Penny. Você sabe que vou voltar. Nós não vamos decepcionar você. Eu prometo”, disse Domingo.

Conforme o planejado, a família de Peety realmente foi buscá-lo, e Domingo retornou para buscar Penny, mas o que mais chamou atenção de todos, foi a reação da pequena ao rever a mulher. Quando Domingo se aproximou de seu canil, a cadelinha não pôde conter sua excitação.

“Ela estava uma cachorra totalmente diferente”, disse Domingo. “Ela só queria me abraçar. Ela até balançou o rabo. E eu fiquei tipo, ‘Ah, sim, sou eu – você lembra de mim.’”

Já no carro, a euforia de Penny continuou e ela não quis mais sair do colo da mulher que ela via como a sua protetora.

“Ela colocou as patinhas em volta de mim e não me largava… ela sabia que estava finalmente a salvo.”

O gesto sutil fez a voluntária chorar, porque segundo ela, ‘quando um cachorro confia assim tanto em você, isso enche seu coração’. Domingo teve que acariciá-la a viagem inteira, pois Penny realmente estava feliz com a companhia.

Quando chegaram em Sparta, Penny foi entregue à voluntária Dedee Nystrom que a levou ao veterinário para receber os cuidados necessários e ganhou um novo nome, Chloe Olivia.

Enquanto se recupera, a pequena cadela estará recebendo os cuidados em seu lar temporário, até que esteja forte e saudável o suficiente para ser adotada, o que esperamos que aconteça logo, até porque ela sabe muito bem como retribuir todo o carinho que ela recebe. Fofa!

Vídeo: lar temporário

Os lares temporários trabalham em conjunto, muitas vezes, com os abrigos ou ONGs de animais. A pessoa ou a família disponibiliza a sua casa para algum bichinho que esteja necessitando de ajuda e, com o auxilio do abrigo, oferecem todos os recursos necessários para que esse animal viva bem até ser adotado por um lar definitivo.

A ONG Abrace Uma Causa Animal de Fortaleza, Ceará, no seu canal do YouTube fala mais sobre esse assunto. Confira!

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com