Cachorra sai para passear, encontra filhote abandonado e o adota

Por
em Notícias

Quando a dona foi olhar a sua cadela, a encontrou com um novo amiguinho. E quem ousaria não acolhê-lo?

Muitos cães são ótimos em fazer novas amizades e acolher novos companheiros, essa cadelinha aqui foi um pouco além, ela não só fez amizade com um cachorrinho abandonado como o levou para casa. É muita fofurice, né?

O caso aconteceu em Belgrade, Serbia, quando a dona da cadela Sara Nisevic, a deixou sair para passear e quando foi buscá-la a encontrou com o novo amiguinho, um cachorro marrom de pequeno porte. A família vive em uma zona rural, o que fez Sara acreditar que ele não estaria perdido, mas sim abandonado.

"Assim que saímos para dar um oi ao cachorro, ele correu em nossa direção e começou a pedir carinho e beijos. Vivemos no meio do nada e conhecemos todos os cães do vale. Infelizmente, a área é conhecida pelo despejo de cães", disse Nisevic.

Mesmo assim, Sara fez questão de se certificar se o cão, agora chamado Strudel, tinha um microchip de identificação e até postou sobre ele na internet em busca de possíveis donos, mas ninguém se manifestou.

Sara não pensou em outra opção além de acolhê-lo, já que sua própria cachorra já havia feito isso. Quando ela o chamou para dentro de casa, inicialmente o pequeno Strudel hesitou, mas depois que entrou, logo se sentiu à vontade. Sara resolveu montar uma cama para que os cães pudessem ficar próximos, mas Strudel quis se aconchegar com Srna, que permitiu que seu novo irmão se juntasse a ela na almofada. "Desde então, eles dormem juntos naquela cama todas as noites", disse Nisevic.

A rotina dos cães não poderia ter se tornado mais feliz, além de dormir juntos, os dois passam o dia brincando lá fora, e Strudel inclusive faz questão de incomodar sua irmã mais velha, Srna. “Lá fora ele é muito brincalhão. Para brincar, ele fica mordendo as pernas dela, já que ele é tão pequeno que é a única coisa que consegue alcançar.” Danadinho!

Que bom que além da sua cachorra, Sara teve a sensibilidade em acolher o pequeno Strudel que estava sozinho nessa vida. "Honestamente, sabíamos que Strudel era nosso cachorro no minuto em que o vimos”, concluiu Sara.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com