Cadela foge de novo lar e caminha 97 dias para encontrar casa de voluntária que a acolheu anteriormente

Mesmo em um novo lar, a cadela já tinha escolhido a sua dona: a voluntária que havia a acolhido e protegido desde o início.

“Acreditamos que escolhemos cães, mas realmente acho que são os cães que nos escolhem", essa, foi a frase usada por uma mulher que acolhe animais temporariamente até que eles encontrem lares permanentes, e ela não poderia estar mais certa.

Mesmo quando adotamos um cachorro, é comum ele escolher apenas uma pessoa da família, a quem ele obedecerá com mais frequência, será mais apegado e fará questão de estar mais perto. Mas, o que aconteceu com a americana Krueger, supera as expectativas de ser querida por um cachorro.

Foto: Reprodução / Kare11.com
Foto: Reprodução / Kare11.com

A mulher que mora em St. Paul, Minnesota, já acolheu cerca de 40 cães em sua casa desde que começou a ser voluntária em ajudar animais abandonados, mas uma entre todos, acabou se destacando, a cadela Zelda.

Krueger cuidou de Zelda durante sete meses, e nesse período a cadela demorou dois meses para abanar o rabo pela primeira vez e mais quatro para latir ou se expressar vocalmente. Ela realmente precisava se sentir à vontade, o que a voluntária conseguiu fazer que acontecesse. Mas, depois desse período, Zelda finalmente encontrou um lar definitivo, em uma cidade próxima, Chanhassen. “Adotei Zelda e passei três dias chorando. Eu senti como se tivesse perdido meu cachorro”, relembra.

Foto: Reprodução / Kare11.com
Foto: Reprodução / Kare11.com

Acontece, que após alguns dias de sua adoção, Krueger foi avisada que a Zelda havia fugido do seu novo lar, o que fez com que ela, juntamente de muitos apoiadores, começassem um mutirão para encontrá-la. Muitas pessoas passavam à frente informações sobre o paradeiro da cadela, mas essa busca acabou durando 97 dias.

Quando Zelda finalmente foi encontrada, Krueger que não havia desistido nunca de procurá-la, se surpreendeu com a ousadia da cadela. Zelda foi encontrada à dois quarteirões da casa da voluntária e havia caminhado mais de 40 quilômetros de uma cidade a outra procurando por sua primeira tutora.

Foto: Reprodução / Kare11.com
Foto: Reprodução / Kare11.com

Krueger caiu de joelhos chorando. "Você me encontrou", ela disse a Zelda. "Eu nunca parei de procurar por você." Na semana seguinte, Krueger adotou oficialmente Zelda, depois de uma prova de amor dessas, não tinha como ser diferente, né?

A aventureira Zelda ainda ganhou um novo apelido Wonderdog, que significa cachorro maravilha. À altura, convenhamos!

Foto: Reprodução / Kare11.com
Foto: Reprodução / Kare11.com

“Quando penso em quanto trabalho todos nós trabalhamos para encontrá-la, ela estava trabalhando muito mais para me encontrar", diz Krueger. Temos certeza que sim!

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários