Aos 92 anos, veterinário aposentado usa seu tempo para construir carrinhos para animais paraplégicos

Por
em Notícias
Ajudar os animais, sempre fez parte da sua vida e mesmo aposentado, ele encontrou uma maneira de continuar com a missão.

Enquanto muitas pessoas criam empecilhos para ajudar os animais, outras dão o melhor de si para ajudá-los, como faz o médico veterinário aposentado, Lincoln Parkes, de 92 anos.

A sua aposentadoria poderia estar sendo aproveitada de várias maneiras, como em viagens, descanso e sossego, mas ao invés disso ele optou em trabalhar em prol dos animais. Parkes - que vive em Oxford, Mississippi, nos Estados Unidos - passou a construir carrinhos adaptados para cães paraplégicos.

A iniciativa surgiu quando o aposentado soube do caso de um cachorro que havia perdido o movimento das pernas traseiras e o dono estava cogitando a ideia de sacrificá-lo, preocupado, Parkes resolveu ajudar a salvar essa vida construindo o primeiro carrinho adaptado para cães especiais.O hábito de construir carrinhos o acompanha desde os anos 60, mas foi durante a sua aposentadoria que o seu hobby se tornou a sua principal atividade e já ajudou vários animais. Ele até mesmo fundou a empresa K-9 Carts, e o aposentado passa seus dias projetando carros especiais para sua clientela fofa.

Um deles, foi um corgi com uma doença degenerativa paralisante que também teve a sua vida transformada graças a colaboração de Parkes.

“Isso fez uma diferença incrível. Antes de entrar no carrinho, ele estava arrastando sua parte traseira, ele não realizava suas atividades normais. Fiquei muito feliz por ele poder fazer o que costumava fazer!”, conta Amy Deisher, dona do cão.

Além de trabalhar com o que gosta, Parkes salienta o quão prazeroso é ajudar os animais. “Quando as pessoas veem seu cachorro bem, esse é o meu salário.”

Ativo e comprometido, Parkes não pretende parar tão cedo. Sorte dos animais que podem contar com os esforços e o talento do aposentado!

Acompanhe um pouco da rotina do Dr. Parkes:

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com