Ciclone destrói chácara de ONG que abrigava 1000 cachorros resgatados das ruas

Na terça-feira passada (30), um ‘ciclone bomba’ passou pela capital paranaense e deixou grandes prejuízos na cidade, além de milhares de famílias sem energia elétrica.

Há alguns quilômetros dali, em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba, os fortes ventos arrasaram a Chácara São Francisco de Assis, pertencente à ONG Associação do Amigo Animal, responsável pelo abrigo e cuidado de 1000 cachorros resgatados das ruas ou em situação de maus-tratos.

De acordo com a ONG, o prejuízo supera a casa dos R$ 20 mil. Para reconstruir as muitas estruturas destruídas, a ajuda de voluntários e doações da comunidade são essenciais.

Foto: Reprodução / Tribuna
Foto: Reprodução / Tribuna

“(O ciclone) fez voar telhados inteiros de alguns canis, por cima das casinhas dos cachorros. Quebrou parte do telhado do barracão da ração e da copa dos voluntários, onde entrou bastante água, mas, por graças, não molhou a ração que estava no outro extremo! Quebraram e caíram alguns muros, árvores e várias casinhas dos cachorros. Encharcou muitos tapetes e cobertores dos animais. E muita sujeira que formou”, contou a voluntária Karol Targas Colnaghi. Felizmente, ninguém ficou ferido.

Foto: Reprodução / Tribuna
Foto: Reprodução / Tribuna

“A dona Júlia (que vive na chácara) ficou na tempestade pra socorrer os cachorros dos escombros, gritando por socorro, num local totalmente remoto. Desespero total! Já estava sem luz, desde antes da tempestade e está sem energia até hoje. Ela não pôde nem tomar um banho quentinho, depois disto”, disse.

Karol conta que a Associação do Amigo Animal foi fundada há mais de duas décadas e mantém os cães resgatados com muito zelo e amor.

Desde o início da pandemia, a entidade já vinha enfrentando dificuldades, uma vez que os bingos beneficentes, doações e cupons fiscais cadastrados no Nota Paraná foram drasticamente reduzidos.

Assim, a reforma das estruturas danificadas se tornou um desafio ainda maior. Quem sofre com isso, em especial, são os animais.

Foto: Reprodução / Tribuna
Foto: Reprodução / Tribuna

“Precisamos de doações, voluntários para a mão de obra na reconstrução, compartilhamentos e muita oração. E também, material de construção, produtos de limpeza, tapetes, cobertores, valores e ração, sempre! São consumidos 300 kg de ração por dia. As pessoas também podem ajudar doando qualquer tipo de ‘usados’ para a Loja das Pulgas, brechó mantido pela ONG”, explica Karol.

Foto: Reprodução / Tribuna
Foto: Reprodução / Tribuna

Você pode ajudar a ONG Amigo Animal entrando em contato com eles pelo Instagram @amigoanimalpr e combinando a entrega de ração, produtos ou voluntariado.

Uma outra maneira de contribuir é comprando números da rifa de eletrodomésticos que a entidade organiza costumeiramente. Já as doações em dinheiro podem ser feitas com depósitos nas contas da instituição:

Associação do Amigo Animal

CNPJ 04.086.238/0001-32.

Banco Itaú – Agência 0255 CC 33.336-1

Banco do Brasil – Agência 1518-0 CC 14.938-1

Banco Bradesco – Agência 2015 CC 19534-0

Caixa Econômica Federal – Agência 1525 Poupança 2774-9 Operação 013

Foto: Reprodução / Tribuna
Foto: Reprodução / Tribuna

Pelo Instagram da ONG também é possível conhecer os lindos cães – filhotes e adultos – que estão disponíveis para adoção.

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários