Cães pit bulls que fizeram amizade em abrigo são adotados juntos por casal

Após 362 longos dias aguardando serem adotados em um abrigo, os cães Monkey e Cookie, da raça pit bull, foram adotados juntos pelo casal Peggy e Doug Combes, que levou em conta a amizade entre eles para acolhê-los ao mesmo tempo, impedindo que fossem separados.

O casal mora no Arizona, Estados Unidos, e queria há tempos adotar um cachorro. Eles foram até o canil decididos a adotar apenas um cachorro - mas acabaram saindo de lá com 2 - curiosamente, a dupla era considerada a mais ‘indesejada’ e ‘difícil de ser adotada’ por conta de sua hiperatividade e ‘excesso de energia’.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Foi amor à primeira vista… Monkey e Cookie foram acolhidos na véspera do Natal passado e agora fazem companhia para Peggy e Doug em meio à quarentena.

Eles relembram como foi adotá-los. “Entramos, andamos e haviam muitas gaiolas vazias, e passamos por essa e pensei: ‘cara, ele é fofo'”, disse Peggy.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

O casal não tinha ideia do tempo que os cachorrinhos estavam esperando para serem adotados. De início, eles também não sabiam que os dois cães que pretendiam levar com eles também eram melhores amigos e que seu futuro seria viver juntos para sempre com uma nova e bela família.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

“Ambos tinham rostos tão bonitinhos... É fácil ver nos olhos de um cão se ele é temperamental ou gentil. Então eles nos disseram que esses eram os dois cães que todos ignoraram”, disse Doug.

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Os cães foram o ‘presente de Natal’ da família norte-americana. Hoje, vivem em um lar super amoroso e acolhedor, que não os julga pelo que eles são. Pelo contrário, os estimula a brincar e serem felizes em primeiro lugar!

Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários