Guarda Municipal resgata cão de morador de rua que se aproveitava do animal para pedir esmola em Balneário Camboriú

Populares realizaram diversas denúncias alegando que o homem se aproveitava do cãozinho para conseguir dinheiro e o mantinha de forma negligente, sem acesso à água ou comida.

Como é triste ver pessoas maldosas se aproveitando da inocência dos animais para ganhar alguma vantagem, mas infelizmente, existem muitos casos assim.

Um deles, ocorreu inclusive, em Balneário Camboriú, Santa Catarina, quando um morador de rua, na posse de um filhote, se dirigia até as sinaleiras para pedir dinheiro, utilizando o animal para comover as pessoas, o que claro, costuma funcionar.

Comovidas, especialmente pela vulnerabilidade do animalzinho, as pessoas acabavam por realizar doações. Acontece, no entanto, que populares relataram que o homem não alimentava e nem hidratava o animal, o utilizando apenas para tirar proveito da situação.

Depois de receber várias denúncias sobre o caso, o Grupo de Proteção Ambiental da Guarda Municipal de Balneário Camboriú foi à procura do homem para constatar o fato, no final do mês de julho.

Os agentes não localizaram o homem, mas ao irem até o meio de uma mata, local que ele costuma ficar, eles encontraram o filhote sozinho, amarrado, sem acesso à água ou comida. Comprovando a situação de negligência, os guardas recolheram o filhote e o encaminharam para a ONG Viva Bicho. Há denúncias, ainda, que o morador de rua utiliza a também a mãe do filhote, que não foi localizada, para pedir esmola nas sinaleiras.

Confira algumas denúncias feitas por populares:

Felizmente, esse cãozinho está a salvo, esperamos que as autoridades se mantenham atentas à situação, para que a mãezinha seja salva e casos como esse não aconteçam mais. Seria interessante também que o morador de rua recebesse amparo social, para que ele possa melhorar suas condições de vida, aprender alguma habilidade laboral e assim sair desta situação triste em que vive.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com