Viralizou! Cães labradores fazem bagunça e um deles delata o irmão como responsável

Por
em Notícias
Bagunça boa é bagunça compartilhada, exceto quando o dono quer saber quem foi o responsável, certo?

A relação entre irmãos é construída com muito amor, cumplicidade, brigas e também da famosa fofoca. Quem nunca teve um irmão(a) dedo-duro não sabe como é morar com o delator e isso não é diferente com os animais não, viu?

Esses dois irmãos da raça labrador retriever mostraram isso ao dono que encontrou pedaços de plástico rasgado, mas parece que um dos cães estava decidido a se isentar da culpa.

Quando questionados sobre a "baderna", um dos cães aponta a pata disfarçadamente para o irmão, enquanto este resolve revidar a acusação dando uma ‘fucinhada’ no denunciante.

A cena fez o dono e mais de três milhões de pessoas rirem da situação no TikTok, rede social em que o vídeo foi compartilhado originalmente e posteriormente divulgado no site La Vanguardia. Bagunça, bagunça, consequências à parte, né? Muito espertinho, hein!?

Veja o vídeo:

Confira 6 dicas para evitar que seu cão destrua coisas em casa

O centro de produção de insumos para a saúde animal, Biovet Vaxxinova, separou algumas dicas para o bem-estar do seu pet nos momentos em que ele se encontrar sozinho. Confira:

1. Deixe distrações para o seu pet

Algumas opções é deixá-lo ter acesso a coisas, comidas e objetos que o deixam feliz. Como deixar um sachê de carne; seus brinquedos à mostra; criar desafios para o pet em casa para ele brincar; apostar em brinquedos interativos; espalhar petiscos pela casa.

2. Separar os seus brinquedos preferidos

Fazer com que ele brinque durante esse período é uma maneira de catalisar essa agitação e deixá-lo calmo. Por isso, é importante deixar os brinquedos e acessórios que ele mais gosta à disposição quando for sair. Isso também evita que o cão tenha o hábito de destruir objetos pessoais e a casa, já que direcionará suas energias para as brincadeiras. Quando você chegar em casa, guarde esses brinquedos. Assim, ele entenderá que quando você sair ele ganha os brinquedos "especiais".

3. Acostume-o com chegadas e partidas

Seu pet precisa entender que recepções e despedidas são momentos comuns da rotina. Para que isso aconteça, você precisa tratar a situação como se fosse algo normal. Por isso, tenha cautela com as despedidas afetuosas e com as “festinhas” ao chegar. Essas atitudes tornam o hábito de chegar e sair como algo especial, reforçando o comportamento ansioso: ele vai querer que você chegue logo para mimá-lo.

4. Treine o seu cão para ficar sozinho

Há algumas práticas que auxiliam o cão a se acostumar a ficar sozinho. Uma delas é sair e ficar razoavelmente próximo ao local para que possa ouvir seus latidos. Faça isso por 5 minutos e retorne. Depois vá aumentando o tempo gradualmente (10 minutos, 15 minutos e assim por diante). Assim ele compreenderá que não importa o tempo, você sempre voltará.

Outra dica que super funciona é quando você for sair, dê a ele o melhor petisco e ensine-o a levar para a caminha. Dessa forma o pet não te vê sair de casa e entende que toda vez que você estiver longe, ele ganha a guloseima especial.

5. Deixe seu cão relaxado antes de sair

Uma outra forma de diminuir o estresse é cansando o seu cachorro. Por exemplo, se você sai para trabalhar às 8h da manhã, que tal levá-lo para passear às 7h? Assim ele tenderá a descansar quando retornar, sem tanta energia para ficar estressado durante a sua ausência.

6. Deixe um objeto com seu cheiro para ele

A última dica para diminuir a ansiedade de separação, principalmente para os filhotes, é deixar um objeto com o seu cheiro pela casa. Assim, ele sentirá como se você estivesse perto, ficando mais tranquilo. Coloque uma camiseta usada próximo à cama dele. O intuito é que ele sinta o cheiro e fique mais relaxado.

Deixar o cachorro sozinho em casa muitas vezes é necessário para seguir a sua rotina tranquilamente. Mas é preciso lembrar da necessidade de separar um tempinho na sua agenda para brincar e fazer companhia para o seu melhor amigo, certo?

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com