Cachorro buldogue finge estar mancando toda vez que precisa subir escadas

Por
em Notícias

Como o cão possui um problema no quadril, ele quase sempre convence os donos de que precisa de ajuda e é carregado, mas ao ser solto ele volta a andar normalmente.

Não é porque os cães são animais que eles não são sábios, pelo contrário, eles são muito mais espertos do que parecem. O buldogue americano Titan, que vive em Iowa, Estados Unidos, foi adotado em agosto por Natalie Bretey e desde então tem sido tratado como um rei, literalmente.

Titan tem 7 anos e alguns problemas de saúde, incluindo úlceras de ouvido crônicas, displasia leve de quadril e alergias. Apesar das dificuldades, Titan leva uma vida ativa e saudável, exceto quando ele se depara com uma escada.

Nesse momento, Titan começa a mancar, fazer a expressão mais dolorida que um cão pode ter e evitar de todas as maneiras subir por conta própria. Inicialmente, Natalie pensou que ele realmente sentisse dor, mas quando ele chegava na parte superior do andar, ele voltava a ficar saltitante, comprovando a tese que ele estava fingindo.

"Titan usa seu truque de mancar pelo menos uma vez por semana. Na semana passada, ele tropeçou em seus pijamas novos subindo o primeiro degrau e tropeçou para trás. Ele segurou a pata no ar e olhou para mim com o olhar mais dolorido que pôde fazer. Chamei meu pai para vir carregá-lo escada acima. Já que ele havia tropeçado dessa vez, fiquei preocupada que ele não estivesse fingindo pela primeira vez! Meu pai desceu e disse: 'Ele provavelmente está fingindo de novo' e o ergueu nos braços e subiu as escadas. Antes mesmo de chegarmos ao topo, Titan estava balançando seu rabo. Ele não estava mancando e ele correu para a porta da frente. Nós apenas rimos. Ele é um grande ator!", contou Natalie ao The Dodo.

Os donos se obrigam, portanto, a carregá-lo degraus acima diariamente, já que eles moram em um prédio. Embora Titan odeie subir escadas, a atividade que ele mais gosta de fazer é passear, ao ponto de se negar a encerrar os passeios.

Os donos têm que lidar com a saga diariamente: levá-lo para passear, convencê-lo a encerrar o passeio, levá-lo para casa, convencê-lo a subir as escadas e carregá-lo nas escadas, já que ele se nega a fazer. Cãozinho genioso, né?

Felizmente o amor dos donos é maior que tudo isso e eles fazem tudo isso de bom grado.

"Tentamos não pensar em todas as coisas pelas quais ele passou, mas nos divertimos vendo-o aprender a andar de carro, ir em cafeterias, fazer caminhadas e interagir com todos”, disse Bretey.
“Seu grande coração fez cada momento difícil valer a pena.” Ou seja, o Titan merece, né?

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários

Últimas histórias