Funcionária pública flagrada dando cerveja para tatu para provocar adversário político é indiciada por maus-tratos a animais

Por
em Notícias

As imagens feitas durante uma comemoração do resultado das eleições no último dia 15 serviram como base para a Polícia Civil identificar e indiciar indivíduos; entre eles, uma funcionária pública.

Infelizmente, não existe limite para a maldade das pessoas. Uma mulher, cujo nome não foi divulgado, foi filmada cometendo uma atrocidade contra um tatu, da espécie Tolypeutes, popularmente conhecido como tatu bola, durante comemoração da vitória de um candidato da cidade Caridade, no Ceará, no dia 15 de novembro.

A mulher, que foi identificada como uma funcionária da prefeitura local,força o animal a beber cerveja e, depois, juntamente de um grupo de pessoas que apoiam a atitude abominável, amarra o tatu em um carro e o arrasta pelo asfalto. Simplesmente revoltante.

Rindo da situação, as pessoas apoiam, filmam e se sentem orgulhosas da situação, já que a violência usada com o tatu estaria acontecendo para debochar do candidato concorrente que perdeu a eleição.

As imagens do caso foram publicadas nas redes sociais da ativista pela causa animal, Luisa Mell,e serviram como base para que a Polícia Civil investigasse o caso. De acordo com o Governo do Estado do Ceará, a Polícia Civil (PCCE), por meio da Delegacia Regional de Canindé, utilizou as imagens para identificar e indiciar os suspeitos envolvidos no crime de maus-tratos ao tatu.

Os policiais civis iniciaram as diligências para também localizar o animal e, na manhã da última terça-feira (17), os participantes da ação criminosa foram identificados e compareceram à delegacia.

A mulher, de 36 anos, confirmou ser ela quem aparece com o animal, porém, afirmou que não se tratava de bebida alcoólica, mas sim refrigerante. Já o homem, de 24 anos, que aparece em outro vídeo segurando o animal pelo rabo e o arremessando para o alto, afirmou que não tinha a intenção de maltratar o animal. Os dois indivíduos alegaram ter feito uso excessivo de bebidas alcoólicas.

A dupla foi indiciada pelo crime de maus-tratos em um inquérito policial instaurado. A Polícia Civil continua em diligências com o objetivo de identificar os demais participantes das agressões e a localização do bicho.

Além disso, o delegado Bruno Lima também publicou em suas redes sociais sua indignação com o caso, reforçando que agiria para que os suspeitos fossem devidamente punidos.

“Enviei ofícios ao Ministério Público do município de Caridade/CE e para o Secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará para que averiguem e PUNAM SEVERAMENTE ESSA CRIMINOSA!! Não existe diversão com o sofrimento de seres indefesos. Aqui não tem trégua”, declarou Bruno.

O que diz a lei

Algumas atitudes podem ser enquadradas e estão expressamente previstas no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/1998): “praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos”. A legislação brasileira prevê pena de detenção, de três meses a um ano, e multa.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com