Gatinhos trigêmeos resgatados se mantêm juntinhos e se recuperam de saúde debilitada

Por
em Notícias

A vida de três lindos gatinhos trigêmeos pôde ser salva graças a bondade de uma mulher que ao encontrá-los passando frio nas ruas do Arizona, Estados Unidos, contatou um abrigo para recebê-los.

Prontamente, o abrigo Jin Bottle Babies recebeu os gatinhos que tinham, no máximo, cinco dias de vida. Sem a mãe por perto, tudo o que eles tinham era risco de vida, já que sem acesso a alimento e sem a proteção materna, poderiam facilmente ter perecido.

“Decidimos hospedá-los porque aquela área não era segura. E eles estavam doentes com uma infecção respiratória superior (URI)’, disse Shelbi Uyehara, fundadora da Jin Bottle Babies ao Love Meow.

Além de serem muito frágeis, os gatinhos precisavam receber cuidado extra por conta da sua saúde. Felizmente, não faltaram voluntárias para cuidarem dos irmãozinhos com todo a atenção que eles precisavam.

Logo que chegaram ao abrigo, os gatinhos receberam antibióticos e mamadeira o dia todo. Os pequenos foram chamados de Jenny, Becky e Lizzy, pela equipe do abrigo, e desde então receberam cuidados especiais.

“Eles tinham uma congestão muito forte e espirravam muito devido a infecções respiratórias superiores. Esteja atento a essas infecções quando os gatinhos são tão jovens, pois podem facilmente se transformar em pneumonia”, conta Shelbi.

Depois de alguns dias recebendo todos os cuidados necessários, além de realizar o tratamento, a saúde dos filhotes progrediu consideravelmente. Não demorou para que eles ‘desabrochassem’ e saíssem do ninho confortável que eles ficaram ao longo dos dias. E o mais importante, eles permaneceram grudados durante todo o processo de recuperação, o que certamente influenciou no resultado.

“Em alguns dias, o problema respiratório desapareceu. Eles também lutaram com um parasita, mas nada foi o suficiente para derrubá-los. Eles têm sido o grupo mais fácil que tivemos em muito tempo! A parte mais difícil é tentar diferenciá-los. Jenny parece um anjo para mim, ela tem muito branco no rosto e ela brilha. Lizzy tem um corpo longo e um tom mais escuro de gengibre. Becky é redonda, tem o rosto mais redondo, os olhos mais bonitos e arredondados”, afirma Shelbi.

Já recuperados, os bônus não acabaram para o trio de irmãos. Isso porque eles foram apresentados a outra ninhada do abrigo, com aproximadamente o mesmo tempo de vida, e a turminha não poderia ter sido mais receptiva uns com os outros.

“Eles adoram rolar de costas e andar juntos. Eles estão sempre empilhados um em cima do outro, ronronando e acariciando nos seus rostos, tentando agarrar o rabo”, conta.

Agora, sem correr risco de vida, os gatinhos só têm motivos para se divertir e aproveitar o tempo em família até que possam estar mais crescidinhos e serem adotados.

Gatinhos recém-nascidos

Sua gatinha acabou de dar à luz ou você encontrou filhotes recém-nascidos, é importante levá-los no veterinário para ser feito uma avaliação sobre a saúde da família felina.

Um gatinho é considerado recém-nascido até os 4 meses de idade, tempo suficiente para ser desmamado da mãe e aprender algumas habilidades para a vida. Enquanto eles não são autossuficientes, segue dicas de como ajudá-los a se desenvolverem felizes e saudáveis, confira:

  • Roupa de cama: eles necessitam de um lugar quente e aconchegante para se desenvolverem bem.
  • Alimentos: se o gatinho não tiver a mãe você terá de dar mamadeira com leite especial que o médico veterinário indicar.
  • Caixa de areia: já pode ensinar os filhotes onde devem fazer suas necessidades para que não sujem a caminha onde dormem.
  • Higiene: escovar e aparar as unhas para evitar arranhões, e além que se começar desde cedo essa rotina, quando mais velhos essa tarefa não será difícil de cumprir.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com