Mulher alimenta gato 'de rua' até descobrir que ele tem casa: "Apareceu de roupinha escrito 'I love my mom'"

Por
em Notícias
O gatinho ia diariamente até o telhado da mulher para ganhar comida, mas uma roupinha com a escrita ‘I love my mom’ denunciou que ele tem um lar. E uma mãe.

Se você faz parte do grupo de pessoas que não pode ver um bichinho sozinho que já quer logo adotá-lo, alimentá-lo ou ajudá-lo, vai se identificar com essa história.

Pensando estar fazendo uma boa ação, uma mulher chamada Alessandra Koyama, de São João del-Rei, Minas Gerais, alimentava todos os dias um gatinho - que ela pensou ser de rua - que aparecia em seu telhado.

Com dó, Alessandra diz tê-lo alimentado por mais de um mês. Até que, no último dia 4, o gatinho apareceu no telhado para ser alimentado, mas dessa vez com uma roupinha escrito ‘I love my mom’ (eu amo minha mãe), denunciando que ele tem um lar e, aparentemente, uma mãe.

Alessandra tirou uma foto do flagra e compartilhou no grupo Gatos Debochados no Facebook, que rapidamente levou os integrantes do grupo aos risos. Em pouco tempo a publicação atingiu a marca de 9,2 mil curtidas e mais de 700 compartilhamentos, além de centenas de comentários que não param de crescer.

“Gente, olha que sem vergonha! Eu, com dó do gato do telhado, já estou alimentando ele faz mais de um mês, aí ontem ele aparece de roupinha, ainda escrito "I love my mom”, escreveu Alessandra na publicação.

O gatinho é realmente um vigarista e foi denunciado pela vestimenta! E agora, será que ela continuará alimentando o gatinho ‘sem-teto’?

Visitas do gato no vizinho

Quem tem gato sabe que eles adoram dar uma passeada pela vizinhança, isso quando não encontram outra casa para se acomodar, tendo uma vida dupla. Os gatos machos tendem a sair mais do que as fêmeas, mas é bastante normal para todos os gatos que têm a liberdade de andar para fazer exatamente isso. Os gatos podem ser atraídos por novas imagens, sons e cheiros que os impressionem. Como a maioria dos animais (e pessoas), os gatos são atraídos por pessoas amigáveis! Se você for caloroso e acolhedor com um gato de fora, é provável que ele queira fazer uma visita ou duas em sua casa.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com