Homem tricota roupinhas para cachorro idoso recém adotado não passar frio no inverno

Por
em Notícias

Com a pandemia, muita gente começou a explorar novos hobbies e esse foi o caso de Nick Greatens.

Com o clima esfriando no estado de Minessota, Estados Unidos, Nick e seu namorado decidiram usar o tempo livre para testarem duas novas habilidades: criar cães e aprender a fazer crochê.

As duas atividades que, inicialmente, não tinham nenhuma ligação entre si, logo se uniriam.

Dois cachorros velhinhos foram os escolhidos do casal para receberem amor. Agnarr e Yelena foram adotados pelo Ruff Start Rescue, uma ONG de ajuda a animais.

“No início, eles eram extremamente tímidos e mal podíamos tocá-los, mas depois de alguns dias eles se abriram”, disse Nick ao portal The Dodo. "Agora eles não conseguem mais viver sem abraços", completou.

Agnarr estava especialmente ansioso, mas com o passar das semanas, ele e Nick começaram a se dar bem.

"Agnarr gosta de me tocar a cada minuto de cada dia”, disse ele. “Nós nos aproximamos muito.”

O motivo pelo qual eles foram escolhidos foi porque, além de serem mais velhos, eles também precisavam ir para a mesma casa, ou seja, a pessoa teria que estar disposta a ter dois cãezinhos.

“Eles são emocionalmente interdependentes”, disse o papai. “Eles passam a maior parte do dia se abraçando e cochilando no sofá.”
“Yelena é uma velhinha quieta que só quer dormir”, disse ele. “Agnarr é um velho rabugento que gosta de defender seu território, mas pesa apenas 3 quilos. Não é muito assustador. ”

Ao longo do tempo, os dois hobbies iam mutuamente se desenvolvendo. Nick costumava fazer crochê enquanto participava das reuniões de trabalho, assim não se estressava e também conseguia se concentrar melhor.

“Estou muito ansioso para fazer um suéter”, disse ele. “Portanto, o primeiro passo natural foi fazer suéteres minúsculos para os cães adotados”. Dessa forma, os cães também poderiam se manter aquecidos.

Agnarr foi o primeiro a ganhar o suéter de presente, e pode se dizer que ele amou! Com certeza estava mais confortável com a presença do frio.

“Agnarr é muito magro e, em Minnesota, faz frio em nosso apartamento, então eu acho que ele está grato pelo suéter" - revelou Nick.
“O chapéu, por outro lado, ele não gostou”, acrescentou.

Os cães mais velhos podem ter tido uma vida difícil, mas você nunca saberia disso pela aparência deles.

“Agora eles são os cachorros mais bem vestidos da vizinhança”, disse Nick, feliz.

Os animais de estimação gostam de vestir roupas?

Cães e gatos ficam fofinhos vestindo roupas elegantes, lindas e estilosas, mas será que eles ficam confortáveis nessas roupas? Não há resposta certa ou errada, desde que você não esteja causando nenhum desconforto. Você conhece o temperamento do seu cão melhor do que ninguém. Se eles têm paciência e não se importam com um desfile de moda ocasional, vá em frente! Agora, você precisa estar atento a alguns detalhes, como lenços, que podem ficar enroscando e enforcá-lo e acessórios, que podem causar asfixia se ingeridos. Fique atento as roupas, tamanhos e acessórios para o seu pet e acima de tudo certifique-se que ele se sente feliz usando as roupinhas. Caso não, desista da ideia, mais vale seu cachorro feliz do que se sentindo incomodado.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.