Garotinho que perdeu seu cão para o câncer se emociona ao ganhar filhote de boxer

Por
em Notícias

Perder um animal de estimação é sempre uma tristeza ímpar, mas a chegada de novos bichinhos na família é a alegria de um novo recomeço. Essa sensação foi transmitida pelo menino Carter, que se emocionou ao tirar a primeira foto com o novo cão da família, alguns meses depois de ter perdido o seu outro cachorro.

A foto foi feita a pedido da mãe de Carter, Nikki Yoshihara, assim que a família, que vive em de Middleburg, Flórida, pegou a nova mascote da raça boxer, chamada Rory. Na ocasião, Nikki pediu a Carter que sorrisse, mas foi surpreendida pela atitude do filho que ficou profundamente emocionado com o momento da chegada da cadelinha à vida da família.

Nikki compartilhou o momento em um grupo do Facebook e explicou que o cão da família, da mesma raça que Rory, chamado Holly havia morrido de câncer há quatro meses. A publicação foi feita no último dia 20 e a reação de Carter emocionou outras 46 mil pessoas que curtiram, comentaram e compartilharam a publicação. Um momento realmente muito especial, né?

“Perdemos nosso primeiro boxer, Holly, para o câncer 4 meses antes disso. Esta foi a primeira foto quando pegamos nosso boxer atual, Holly. Eu disse ‘sorria!’ E isso é o que eu tenho. Nosso filho estava tão emocionado”, escreveu Nikki na legenda da publicação.

Como a publicação teve grande repercussão, algumas pessoas, inclusive, se mostraram preocupadas com o estado do Carter, então Nikki decidiu atualizar as pessoas sobre o assunto.

“Nossa família está impressionada com a quantidade de AMOR que todos vocês demonstraram ao nosso filho e à Rory. Ela tem sido uma benção para a nossa família e tem-nos dado definitivamente muito amor. Houve algumas preocupações de alguns comentaristas sobre o Carter (o nosso filho) estar envergonhado por esta foto, mas posso garantir que ele não tem vergonha. Ele adora os seus filhotes”, esclareceu Nikki.

Crianças e pets

Um estudo publicado na PMC and Research Funder Policies em 2016, examinou como as relações das crianças com os cães de estimação estão conectadas às suas relações humanas, com pais, amigos e conhecidos. A pesquisa foi deita com 99 crianças entre 9 a 11 anos que responderam a questionários sobre relacionamento com cães de estimação e os pais, amigos e professores responderam sobre a reação e adaptação das crianças com os pets. No estudo concluiu-se que:

Crianças que se sentiam mais próximas de seus cães eram mais seguramente apegadas às mães e pais, e relataram qualidades mais positivas e menos conflito com os amigos. Crianças com apegos mais seguros às mães e maior companheirismo com os cães, interagiam mais com eles. O apego dos pais e a qualidade da amizade, mas não a relação do cão de estimação, estavam relacionados ao ajustamento da criança.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com