Cachorrinha vira-lata caramelo tem sua vida ameaçada por criminosos por ‘latir demais’

Por
em Notícias

Imagine estar almoçando e de repente receber uma carta ameaçando sua cachorrinha de morte… foi isso o que aconteceu com Guilherme Assano.

“Seu cachorro será morto, silenciosamente e em algum dia”, assim começa a carta anônima destinada a Sol, uma linda vira-lata caramelo que mora com sua família em um bairro de São Paulo. O motivo? Segundo a mensagem, Sol “late, há muito tempo, descontrolada e diuturnamente fora da normalidade de um convívio social”.

Segundo o portal de notícias CNN Brasil, essa cruel ameaça foi deixada na porta da casa no bairro Planalto Paulista, na Zona Sul de São Paulo, onde a família de Guilherme vive, e após pensar muito, decidiram divulgar nas redes sociais o acontecido, logo após registrar um boletim de ocorrência na delegacia mais próxima.

Confira a carta abaixo:

“Estava almoçando em família, um dos irmãos pegou a correspondência e em choque falou que a Sol estava sendo ameaçada. Ele leu a carta e ficamos em choque por bastante tempo, muito inseguros; estamos nos sentindo muito assustados com tudo que está acontecendo”, disse Guilherme.
“Na delegacia encontramos uma vizinha registrando um boletim com uma carta exatamente igual, aí vimos que era uma pessoa ameaçando os cachorros da região, ainda não temos o conhecimento de mais casos, mas deve haver mais ameaças. Decidimos afastar a Sol do portão, ela não fica mais na frente da casa, a gente tenta ficar com ela por perto durante o dia, à noite deixamos ela dormindo dentro de casa”, explicou ele.

A família disse que Sol nunca apresentou esse comportamento exagerado, apenas latidos eventuais, normais para um cachorrinho. Mas de qualquer forma, buscaram ajuda de um profissional de adestramento canino.

“Ela late como qualquer outro cachorro, não acho que seja exagerado, mas procuramos um especialista e ele tem nos orientado muito em relação ao comportamento dos cachorros, tem nos tranquilizado, dizendo que é normal o cachorro latir, nos acalmou dizendo que isso era um crime e então ele decidiu compartilhar com amigos”, afirmou Guilherme.

Desde então, várias pessoas que viram a postagem sobre o caso tem mostrado apoio à família por meio de mensagens e comentários.

“A comunidade pet abraçou nossa história, só temos recebido mensagens de carinho, de apoio, de sensibilidade, tem sido algo que tem fortalecido e comovido muito a gente, somos muito gratos. Temos conseguido essa visibilidade e espero poder proteger melhor os cachorros da região e tentar chegar nessa pessoa que está planejando esse crime. Que todo mundo possa viver em harmonia, cada um com seu animal, e que a justiça possa ser feita”, disse o homem.

O adestrador Ricardo Milan afirmou que o comportamento de latir para estranhos é normal entre os cães, e destacou que Sol não apresenta problemas.

“É possível melhorar a Sol, mas não que ela seja uma cachorra que tem excesso de latido.Durante a visita a campainha tocou, era um entregador, a cachorra não latiu e nem correu para o portão. O adestramento é recomendado para todos os cães, pois ele melhora a comunicação, obediência, e melhora sua integração na sociedade”, afirmou Ricardo.

Esperamos que Sol tenha muita vida pela frente ainda para que possa brincar bastante e que tais criminosos sejam encontrados rapidamente.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.