Cães paraplégicos de abrigo vivenciam emocionante experiência com cadeira de rodas

Por
em Notícias

A condição de vida de milhares de cães de rua é precária na Tailândia, mas graças ao abrigo The Man That Rescues Dogs, localizado em Chonburi, a realidade de muitos deles melhorou.

Atualmente, o abrigo tem sob os seus cuidados 600 cães, e presta auxílio como castração e alimentação, a outros 350 que vivem nas ruas.

Parte desses cães possuem necessidades especiais ou são paraplégicos, mas o abrigo tem prestado assistência especial a eles, como fisioterapia e fornecimento de cadeira de rodas para todos.

Em um lindo registro, os 27 cães paraplégicos aparecem eufóricos desfrutando de uma caminhada em meio a natureza com direito a banho de rio e muita diversão. A expressão de alegria dos cães fala por si só e não poderia ser mais emocionante.

“É quase como se eles não tivessem ideia de que têm uma deficiência e, quando você os coloca na cadeira de rodas pela primeira vez, é como se não houvesse curva de aprendizado”, declarou o coordenador de patrocínios do abrigo, Christopher Chidichimo.

O abrigo foi criado por um sueco que se mudou para Chonburi em 2002. Comovido com as más condições que os animais abandonados viviam, ele começou a cuidar deles.

A maior parte do trabalho, no entanto, só é possível ser realizada com a ajuda de doações, que decaíram consideravelmente durante a pandemia.

Os custos com todos os animais que são assistidos pelo abrigo chegam a mais de US $ 1.300 (R$ 6.995,43) por dia.

“As doações são muito importantes e os voluntários, e visitantes são igualmente importantes, porque vêm e espalham a nossa mensagem”, disse Christopher.

Mesmo proporcionando alegria e condições melhores de vida a tantos cães carentes, o abrigo corre risco de ser fechado caso as doações continuem em redução, que até o momento, foi de 40%. Mas, enquanto os voluntários lutam por recursos, os animais seguem aproveitando o lado bom da vida.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com