Homem viaja a pé de Santa Catarina para o Espírito Santo com sua vira-latinha resgatada

Por
em Cães

Um homem e sua cachorra vira-lata decidiram desbravar o Brasil a pé e viajaram de Santa Catarina até o Espírito Santo, onde moram atualmente. Heuberth Lopes encontrou sua cachorra Sukita abandonada em uma lata de lixo e a resgatou.

O ano era 2013, Heuberth morava em Florianópolis fazia dois anos e trabalhava fazendo bicos em festas, hotéis e como garçom. Havia sido deportado dos Estados Unidos em 2011 e estava longe de seus filhos vivendo sozinho. Até que um dia escutou um choro de cachorro vindo de um contêiner de lixo, foi verificar e achou uma cachorrinha vira-lata filhote.

Decidiu resgatá-la e, com isso, receber uma companhia para melhorar seu dia-a-dia. Por um ano, a doguinha chamada Sukita seria sua parceira na vida em Floripa. Até que em 2014, o homem decidiu mudar de vida. Pegou uma mochila com roupa, a cadelinha e decidiu ir a pé para o Espírito Santo. Não levou dinheiro nem comida, mas planejou a viagem inteira para deixar a cachorrinha o mais confortável possível.

No total, os dois passaram por 2.300 quilômetros juntos (1.900 km a pé e 400 km pegando carona de quem se solidarizou). Caminhavam entre 15 a 20 quilômetros por dia guiados pelo celular com internet e à noite dormiam cobertos por uma bandeira do Brasil que Heuberth trazia na mochila.

“A gente nunca passou fome. Sempre tinha ração para ela e comida para mim” - contou Heurberth para a A Gazeta. “Levava ao veterinário, contava minha história e eles ajudavam até com shampoo para dar banho nela”.

De vez em quando, o homem se abrigava em aldeias de pescadores e oferecia ajuda em troca de comida e abrigo para os dois. Tirando essas paradas rápidas, fez só duas pausas na viagem: uma em Franscisco do Sul, Santa Catarina, e a outra em Ilha do Mel, no Paraná. Heurberth até salvou uma mãe e filha de se afogarem.

Já Sukita, também deixou sua marca pelo país. Mais especificamente, deixou sua prole. A cadelinha tem oito filhotes no total, dois em Santa Catarina, dois no Paraná e os outros quatro no Espírito Santo. Um deles foi batizado de Pepsi, mas foi roubado em 2017.

Heuberth e Sukita chegaram no Espírito Santo em 2016 e decidiram montar residência no município de Mimoso do Sul. Agora os dois cuidam de um quiosque em uma praça da cidade.

“Ela se tornou minha melhor amiga. A minha alegria. Não me vejo sem ela mais”

Atualmente, Heuberth com 40 anos e Sukita com 7, vivem felizes cuidando do quiosque e fazendo truques de mágica.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Estudante de jornalismo que é apaixonado por tudo que tenha super-heróis, dragões e faroeste (ele se pergunta todo dia quando que vai lançar um filme misturando os três). Gosta de ler, com um favoritismo em fantasia (por que será?) e adora ver séries em geral. Ama estudar sobre criatividade e sociologia. Tem uma doguinha perfeita e sem defeitos chamada Athena. Também gosta de cinema e matar tempo nas redes sociais vendo memes.