Cão cego se transforma em pai adotivo de filhotes abandonados e esbanja amor

Oliver adotou e cuidou de Peter e Chris depois de serem rejeitados pela mãe

Por
em Cães

Um cão cego acabou se tornando pai de dois cãezinhos órfãos de forma improvável. O fato aconteceu 12 meses após também ser resgatado das ruas.

Oliver, como é chamado o Rottweiler, tinha apenas três meses de idade quando foi encontrado vagando pelo Hyde Park em Londres, Inglaterra.

Após o resgate foi levado ao abrigo de animais, Battersea Dogs and Cats Home, onde recebeu esse nome para homenagear Oliver Twist.

Isto porque sempre queria “mais” comida depois das refeições.

Felizmente, antes do natal de 2020, o canino conseguiu uma nova família que morava no sudeste de Londres.

No entanto, o que não se esperava é que ele fosse um pai extremamente gentil para Peter e Chris, dois filhotes que foram rejeitados pela mãe.

A gerente do abrigo, contou em entrevista ao Metro que havia 'algo realmente especial' em Oliver, pois ajudou a criar os filhotes pouco tempo depois.

“Ele não só é completamente cego, mas também tem um tamanho impressionante de 50kg; mais de dez vezes o tamanho de seus filhotes adotivos”, observou ela.
“Ele realmente mostra que as aparências enganam, já que ele tem sido tão gentil com Peter e Chris, ensinando-os a brincar e enrolando-se com eles para horas de cochilo regulares”, acrescentou.

A história de Oliver ficou conhecida nos jornais da Grã-Bretanha em novembro e logo conquistou o coração dos leitores.

“No ano passado, Oliver teve o melhor presente de Natal um encontrar um lar, e agora ele deu o mesmo presente para esses filhotes indefesos”, concluiu Rebecca.

A nova dona de Oliver, Suzanne, destacou que embora ele seja cego é um cão muito confiante e amigável.

“Ele é um personagem tão grande e ele realmente mostra que, embora os cães de resgate nem sempre sejam perfeitos, eles definitivamente valem a pena”, finaliza Suzanne.

Veja também:

O caso do caramelo que seduziu pedestre, salsicha adota gato e mais | Jornalzinho Amo Meu Pet

Uma jornalista quase formada de 21 anos, completamente apaixonada por futebol e animais. É daquelas pessoas que não podem ver um cachorro ou gato na rua que já quer fazer carinho... Do tipo curiosa, gosta de contar boas histórias e aquecer o coração de seus leitores. Um pouco indecisa para os títulos das matérias, confesso, mas dedicada ao ponto de procurar sempre escolher as melhores palavras. Prazer, sou Letícia Michele Schneider, atualmente moradora de Passo Fundo (RS), tenho o sonho de deixar o mundo um pouquinho melhor e quem sabe um dia estar à beira do gramado entrevistando os jogadores da dupla Grenal.