Mulher adota pit bull idosa com câncer terminal e lhe garante muito amor em seus últimos dias

A pit bull Dot nunca teve uma vida fácil: desde filhote, viveu em situações degradantes e muitas vezes, foi sujeita a maus-tratos.

Já idosa, ela foi amparada pelo abrigo LifeLine Animal Project em Atlanta, nos EUA. Após uma visita ao veterinário, descobriu-se que Dot estava com um câncer terminal e não teria muito tempo de vida.

Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot

Os voluntários do abrigo começaram então uma corrida contra o tempo para encontrar uma família amorosa que pudesse adotar Dot e garantir à ela os melhores últimos meses de sua vida.

Eles encontraram Jessica Miller, uma jovem que também é voluntária em prol da causa animal. Ela decidiu levar Dot para casa, ao passo que o LifeLine Animal Project se comprometeu a arcar com todos os custos com medicamentos que atenuavam os efeitos do câncer na cachorra.

"Ela é tão amorosa que merece saber como é ser amada de volta", disse Karen Hirsch, porta-voz do Animal LifeLine.

Jessica acolheu a pit bull e passou a chamá-la carinhosamente como ‘Vovó Dot’.

Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot

Ela adorava passear de carro, brincar no parque ou comer guloseimas para cães que nunca havia provado antes.

Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot
Foto: Reprodução / The Adventures of Grandma Dot

Foram três meses de um convívio mútuo muito amoroso, autêntico e singelo, exatamente como ‘Vovó Dot’ merecia. Em fevereiro de 2017, a pit bull faleceu. Descanse em paz, Dot.

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários