Porco leva almoço na boca para irmão doente todos os dias: 'Companheiros até o fim'; vídeo

Horton e Henry tinham apenas alguns meses de vida quando voluntários de uma ONG de resgate animal os encontraram - mas nesse meio-tempo já haviam se tornado melhores amigos.

Famintos e aterrorizados, os dois porcos estavam sendo criados em uma fazenda que declarou falência. De fato, eles ficaram dias sem ter o que comer, ficando desnutridos, anêmicos e cheios de parasitas pelo corpo.

Eles também tinham medo das pessoas.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

"Eles estavam morrendo de medo de nós quando chegamos", disse Ellie Laks, fundadora da ONG The Gentle Barn. Levou um tempo até que os porcos estivessem confortáveis ​​o suficiente para permitirem a aproximação dos voluntários. "Foi um processo que levou semanas”, explicou.

Aos poucos, Horton e Henry recuperaram o peso e ficaram mais fortes, deixando o trauma da fome para trás.

Um ano se passou. Certo dia, os cuidadores do abrigo perceberam que Horton estava tendo problemas para caminhar. Suas pernas estavam lutando para suportar seu peso maciço - um problema comum em porcos anormalmente grandes criados para comer.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

"Os dois cresceram muito, muito rapidamente", disse Laks. "Mas o tamanho de Horton, juntamente com sua má conformação, se transformou em problemas de mobilidade".

Horton teve que fazer uma cirurgia para se recuperar. Ele está se sentindo melhor agora, mas passa a maior parte do tempo descansando no celeiro dele e de Henry. Mas, como um bom irmão faria, Henry garante que Horton não fique sem ter o que comer.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

À medida que as pernas de Horton ficavam mais fracas, os cuidadores notaram que Henry estava se tornando ainda mais carinhoso com seu irmão de criação.

"Quando trouxemos feno para eles comerem na hora do almoço, Henry pegou um bocado e o levou direto ao celeiro para Horton", disse Laks. “Ele tem feito isso há dias”.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

Durante o dia, quando Henry está no pasto, ele nunca fica muito longe de seu irmão.

Segundo Laks, esse não é um comportamento incomum em porcos. Como animais altamente emocionais, eles prosperam em interações sociais com os outros - e formam laços profundos com familiares , amigos e cuidadores humanos.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

"Os porcos têm uma linguagem altamente desenvolvida", disse Laks. “Eles estão sempre se comunicando através de seus diferentes bufos ou grunhidos. Henry também ama especialmente as pessoas. Ele está sempre pronto para uma massagem na barriga e alguns vegetais.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

Embora o almoço seja definitivamente uma parte importante do dia, manter Horton confortável também é uma prioridade para Henry. “Ele agradece Henry da maneira que pode - grunhindo”.

Foto: Facebook / The Gentle Barn
Foto: Facebook / The Gentle Barn

Depois de tudo o que passaram juntos, Henry não parece se importar com o trabalho extra.

Saiba mais assistindo ao vídeo abaixo:

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários