Idosa transforma propriedade de mais de 24.000 m² em santuário para mais de 1000 gatos resgatados

Há quase quarenta anos, Lynea Lattanzio comprou uma propriedade de 24 mil metros quadrados na Califórnia (EUA) depois de passar por um divórcio muito doloroso.

A essa altura, ela só queria uma vida mais tranquila vivendo em uma casa próximo ao lago, longe da bagunça e do barulho da cidade grande.

Só que poucos meses após se mudar, Lynea perguntou a si mesma: “O que eu estava pensando, mulher solteira sem filhos vivendo em uma propriedade gigantesca?”, comentou ela pra si mesma.

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

Lynea então estabeleceu um novo propósito de vida: converteu sua propriedade em uma espécie de santuário aberto de gatos selvagens ou domésticos que foram resgatados das ruas ou que estavam em situação de vulnerabilidade.

De 1981 pra cá, ela comprou mais 24 mil metros quadrados de terra dos vizinhos e expandiu ainda mais seu santuário. Hoje, Lynea cuida de mais de 1.100 felinos resgatados!

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

“Quando comecei esse projeto, fiquei no vermelho financeiramente por sete anos. Gastava toda a minha aposentadoria, [e tive que] vender meu carro e até minha aliança de casamento”, diz a idosa, com semblante feliz.

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

Em 1993, Lynea tornou-se uma técnica veterinária, o que ajudou a reduzir seus custos. À medida que a população de gatos da ‘The Cat House on the Kings’ crescia ao longo dos anos 90, mais funcionários, voluntários e doações financeiras ajudaram ela a manter seu ofício de pé. Então, em 2002, a The Cat House on the Kings ganhou status governamental de entidade sem fins lucrativos.

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

O custo atual para manter a The Cat House on the Kings ativa é de US$ 1,2 milhão por ano (cerca de R$ 6 milhões).

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

“Temos um hospital, uma UTI, uma sala de quarentena de gatinhos, uma sala de quarentena sênior, mas é aí que ficam nossos gatos gravemente enfermos. Temos um veterinário que vem uma vez por semana para verificar nossos animais. Levamos animais para ele todos os dias para verificação e temos sete técnicos veterinários na equipe”, explica Lynea.

Foto: Reprodução / Barcroft TV
Foto: Reprodução / Barcroft TV

A ativista ama o contato (maciço) com os gatinhos, mas sua principal missão é encontrar um lar adotivo para eles: uma seção da sua propriedade funciona como um centro de adoção que permite o acolhimento deles por outras famílias.

Nos últimos anos, Lynea também tem acolhido cães - muitos, muitos cães. Ela estima ter ajudado mais de 7 mil deles nos últimos trinta anos (e outros 30 mil gatos!). Incrível, né?

Confira algumas imagens assistindo ao vídeo abaixo:

Gabriel Pietro

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.

Comentários