Garotinho passa a quarentena no interior na casa dos avós e cria vínculo especial com galinhas; vídeo

em Notícias
No imaginário popular, a relação seria com qualquer outro animal doméstico, mas parece que para as crianças - e os animais - não há espaço apenas para a razão, mas também para o carinho.

O amor das crianças com os animais é um dos sentimentos mais genuínos que podemos testemunhar. Independente da raça, espécie ou pedigree, as crianças estão sempre dispostas a interagir e construir relações afetivas com os animais, como aconteceu com o gauchinho Henrique, de 5 anos.

Henrique mora em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, com os pais Luciano e Patrícia e, assim como grande parte das famílias ao redor do mundo, passou por momentos de adaptação desde o início da quarentena.

Ficar apenas em casa não é uma tarefa fácil para adultos, tampouco para as crianças, então os pais decidiram passar esse período na casa dos pais de Patrícia, avós do Henrique, localizada no interior do estado.

Lá, Henrique pôde brincar livremente e ter contato com muitos bichos, entre eles, sete galinhas que haviam sido compradas recentemente pelo seu avô.

O que ninguém da família esperava, era que a proximidade do dia a dia, como cuidados e alimentação, faria com que a criança criasse um grande afeto pelas galinhas e, por incrível que pareça, é um afeto recíproco.

“Ele gosta de acompanhar a subida delas no poleiro e canta músicas de ninar para elas. Os meses foram passando, elas foram crescendo e começaram a colocar ovos que ele ajuda colher e, por coincidência, algumas delas colocam ovos com duas gemas! Isso mesmo, ovos duplos, para a euforia do Henrique. Segundo ele é porque 'elas me amam'", compartilha Patrícia.

Além de apreciar a companhia das galinhas, Henrique adora pegá-las no colo e acariciá-las, além de conversar em 'galinhês' com elas. Segundo a mãe, elas gostam quando ele vai até o galinheiro, pois de alguma forma, elas sabem que ele está lá para cuidá-las com muito afeto. Confira abaixo um dos momentos do Henrique conversando com uma das galinhas:

As galinhas assumiram o papel dos amiguinhos que Henrique não pôde mais ver por conta da pandemia e, ao que tudo indica, parece que todos gostaram dessa ‘troca’.

"Percebemos que ele se apegou a esses bichinhos até pela falta que sente dos amiguinhos e de brincar com outras crianças. Para ele, elas são de estimação e já está preocupado como vai fazer quando voltarmos para Passo Fundo. Elas sentirão muitas saudades dele e ele também delas”, relata.

Veja o vídeo do Henrique cuidando das suas amiguinhas:

Não temos dúvidas que será uma saudade mútua, mas enquanto a quarentena não acaba, eles poderão aproveitar muito a companhia um do outro.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com