Cão de rua 'invade' delegacia e acaba adotado por policiais: 'Todos o adoram'

Por
em Notícias

A ausência de uma apresentação adequada, por vezes, é tudo que falta para dois completos desconhecidos fazerem amizade. O cachorrinho Gorgi sabe muito bem disso e tratou de providenciar o encontro que mudou sua vida e a de todos que o conhecem para sempre.

Há cerca de quatro anos, Gorgi, que vivia em situação de rua, apareceu em um centro de comando da Polícia de Porto Rico, na cidade de Bayamón.

Boa primeira impressão

Os policiais de prontidão ficaram surpresos com o aspecto dócil e amigável do cachorro, apesar de rapidamente descobrirem que ele teve um passado difícil e doloroso.

“Ele estava em más condições, desnutrido e com aparentes sinais de abuso”, disse o sargento Tony Montesinos ao The Dodo. “Ele se aproximou assustado e estava em busca de afeto e proteção. Nós lhe demos comida e água naquela noite e depois de comer ele ficou um pouco conosco e foi embora.”

Entretanto, aquele encontro logo provou-se ser tudo, menos aleatório: no dia seguinte, diz Tony, Gorgi estava de volta.

Acolhimento

O cão apreciava a companhia dos policiais e aproveitava cada momento com eles. Sensibilizados com o jeitão ‘do bem’ de Gorgi, eles decidiram acolhê-lo na delegacia.

Dias depois, os policiais até juntaram dinheiro para levá-lo para um check-up no veterinário!

Pela primeira vez em anos, o cãozinho vira-lata pôde experimentar a sensação de ser amado e respeitado.

Uniforme e trabalho na delegacia

Considerando que Gorgi imaginava que a delegacia era como um lar, fazia sentido que o cão conseguisse um emprego na polícia – ‘trabalhando’ como o cão de vigilância do local, devidamente uniformizado, claro.

Seu trabalho por lá é apenas simbólico: ele não tem afazeres, a não ser receber carinho dos policiais de tempo em tempos. Mais do que tudo, talvez, o papel de Gorgi seja o de companheiro de confiança e amigo dos policiais que passam seus dias no cumprimento do dever.

“Ele reduz nossas tensões”, diz Tony.
“Todo mundo o adora”, diz Montesinos. “Ele terá tudo que precisa enquanto viver.”

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.