Na véspera do Natal, morador de rua enfrenta incêndio em abrigo para salvar cães

Por
em Notícias

Às vésperas do Natal um incêndio acabou destruindo uma casa que abrigava dezenas de animais de resgate em Atlanta, nos Estados Unidos, que felizmente foram salvos graças a ajuda de um morador de rua.

Segundo a WSB-TV, uma falha elétrica deu início a um incêndio na sede W-Underdogs, uma organização sem fins lucrativos dedicada a ajudar os animais resgatados, que se não tivessem sido retirados imediatamente do local, teriam morrido.

O local ficou destruído, mas felizmente, o grupo estava em fase de transição para outra sede e no momento que o incêndio começou, os animais estavam sozinhos já que os funcionários estavam transportando alguns objetos.

Justamente por isso, o papel do morador de rua juntamente do Corpo de Bombeiros local foi fundamental para que nenhum animal ficasse ferido com as chamas. Enquanto os bombeiros combatiam o fogo, o homem resgatava os animais.

“Esta noite agradecemos nossos anjos da guarda, o homem sem-teto que correu para nossa casa em chamas e resgatou nossos animais, o corpo de bombeiros e os oficiais de @fultonanimalservices MJ por uma ação rápida. Nossos animais estão seguros”, disse Gracie Hamlin, fundadora do W-Underdogs.

As novas instalações não estavam completamente prontas, mas foram capazes de receber os cães.

“Pudemos mover os animais com segurança para as novas instalações durante a noite. Todos estão felizes, aquecidos, seguros e confortáveis ​​em seu novo lar temporário”, afirmou Gracie.

Como não estava tudo completamente pronto, a organização criou uma campanha de arrecadação para acelerar o processo de transição e conseguir todos os insumos que foram perdidos no incêndio.

Muitas pessoas chegaram às novas instalações do abrigo e doaram seus dois centavos representados em cobertores, alimentos e outros suprimentos.

Mas, além de ter um lar para estar abrigado, o que esses animais realmente precisam é de um lar definitivo, por isso a equipe reforçou à população a importância da adoção.

“Muitas pessoas chegaram às novas instalações do abrigo e doaram seus dois centavos representados em cobertores, alimentos e outros suprimentos”, declarou a fundadora.

Nessa história podemos perceber que nada é feito sozinho, mas que com a contribuição de todos, coisas incríveis podem acontecer.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com