Pastor alemão se apaixona por gatinho e convence seus donos a adotá-lo

Por
em Notícias

Os animais são capazes de reconhecer o amor de uns pelos outros antes mesmo de se tocarem, exatamente como aconteceu com a cadela Paisleigh, da raça pastor alemão, que se apaixonou pelo gato ruivo Oliver ao vê-lo em uma loja de animais.

Paisleigh passeava com os seus donos na loja de artigos animais PetSmart, em Wewahitchka, Flórida, quando os três se depararam com alguns gatinhos que estavam expostos para ser adotados.

O casal até queria adotar outro gato, mas como eles já tinham outros dois em casa, a ideia acabou ficando de lado. O que eles não contavam, no entanto, era que Paisleigh seria a responsável por fazê-los mudar de ideia assim que ela encontrou Oliver na loja.

Dificilmente outra definição se encaixaria melhor do que amor à primeira vista, pois foi exatamente assim que os dois agiram quando se viram.

“Quando vi a maneira como eles reagiram juntos, meu marido olhou para mim e disse: 'Querida, é um gato laranja, não é isso que você está querendo?' Tudo em mim dizia: 'SIM! Por favor, vamos levá-lo para casa!'”, declarou a dona, Kelsey Gilland, ao The Dodo.

Apesar do desejo de levar Oliver para casa, o casal acabou ponderando e optou por não adotá-lo. Pelo menos, não naquele dia. Quando chegou em casa, Kelsey não conseguiu tirar o gatinho laranja da cabeça e em como ele e Paisleight haviam gostado um do outro, mesmo estando separados por um vidro.

Na manhã seguinte, Kelsey e o marido conversaram e, em unanimidade, decidiram voltar à loja na tentativa de ainda encontrar Oliver por lá. Felizmente o simpático gatinho ainda estava por lá e pôde ser adotado pela família. Quando chegaram em casa, o casal pôde apresentar oficialmente Oliver ao Paisleight, que não poderia ter sido mais receptiva com o felino.

“Oliver saiu direto de sua gaiola e foi direto para Paisleigh sem qualquer hesitação, como se a conhecesse por toda a vida”, afirma Kelsey. “No início, ela só queria lamber sobre ele, mas ele não se importou. Ele estava ronronando tão alto. Eles passaram as próximas quatro horas aninhados na cama comigo antes de deixarmos os outros animais se encontrarem”.

Pronto, os dois finalmente estavam reunidos e parecem ter esperado muito tempo por isso. Assim como Paisleigh, os outros animais da casa receberam amorosamente Oliver. O casal estava contente, sobretudo, por ter tomado a decisão certa ao levá-lo para casa.

“Ele é tão amoroso, aconchegante e compartilha tantas características que Paisleigh tem, é uma loucura. É como um casamento feito no céu”, concluiu Kelsey.

Veja o vídeo

Pastor Alemão

Essa raça é conhecida por ser bom cão de guarda, fiéis aos seus donos e obedientes. O pastor alemão se destaca em quase tudo para que são treinados: cão guia, serviço militar e policial, pastoreio, busca e resgate, obediência e sem dúvida companheiro fiel. Conheça algumas curiosidades sobre essa magnífica raça:

  • Está entre as 10 raças de cães mais populares nos Estados Unidos e provavelmente uma das raças mais reconhecidas do mundo.
  • Os pastores alemães eram cães de busca e resgate que rastejavam pelas ruínas do World Trade Center após os ataques terroristas de 11 de setembro, procurando por sobreviventes e confortando equipes de resgate e famílias.
  • Originalmente criado para rebanhos o dia todo, este é um cão de alta energia que precisa de muita atividade e exercício.
  • O pastor alemão não é a raça para você se você está fora de casa com frequência ou por longos períodos de tempo. Quando deixados sozinhos, eles podem ficar ansiosos ou entediados e provavelmente expressarão sua preocupação de maneiras que você não gosta, como latir, mastigar e cavar.
  • O pastor alemão é uma raça relativamente nova, que remonta a 1899, e eles devem sua existência a um homem: Capitão Max von Stephanitz, um capitão de carreira da cavalaria alemã com o objetivo de criar uma raça alemã que seria incomparável como pastoreio cachorro.

Receba nossas notícias no WhatsApp!Entrar no grupo

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com