Gato faz amizade com felino perdido no quintal de sua casa e o convida para morar com ele

Um gatinho domesticado decidiu convidar um felino em situação de rua que estava perdido dentro do quintal de sua casa para morar com ele.

Stavros vive com sua dona, Klarieke, em uma casa antiga de Amsterdã, na Holanda.

A holandesa têm ao todo três gatos adultos: Jack, Louis e Stavros, o último a ser adotado, há um ano, na Grécia.

"Stavros vivia na rua e estava muito doente. Ele foi resgatado por uma garota holandesa que fica em Zakynthos no verão passado. Ela estava procurando um lar (para o gato) na Holanda, então decidimos adotá-lo", disse Klarieke ao portal Love Miau.
"Meu marido e eu dissemos um ao outro: 'este é o último gato, três é o suficiente.'"

No início do mês passado, um gatinho começou a aparecer no quintal. Ele era muito tímido e magro. Klarieke nunca tinha visto o gatinho antes e não tinha certeza se ele pertencia a alguém.

Quando ele voltou dias depois, Klarieke ficou surpresa ao encontrar seu gato, Stavros, saindo com o gatinho como dois bons amigos.

As visitas se tornaram constantes, mas o bichano de rua sempre ficava perdido no quintal da família, que é bem extenso. Não demorou muito para todos perceberem o quão unidos os dois amigos felinos haviam se tornado.

"Um dia, eu estava alimentando nossos três gatos na cozinha, e Stavros estava apenas de pé ao lado da mesa de jantar em vez de comer", Klarieke compartilhou com Love Meow.

Ela olhou para o prato dele e ficou agradavelmente surpresa com o que descobriu - o gatinho de rua se juntou a eles para jantar, e estava comendo no prato de Stavros. O gato ruivo não se importou nem um pouco e deixou o amigo comer à vontade, como se entendesse como é passar fome depois de tantos meses vivendo como um animal de rua.

"Eu dei ao gatinho sua própria tigela de comida no galpão, mas ele fugiu quando me viu. Aparentemente, ele estava com tanta fome que arriscou entrar para comer."

Nos dias seguintes, Klarieke preparou um prato extra de comida para o acompanhante e esperava conquistá-lo aos poucos. Deu certo.

Ninguém reclamou a propriedade do felino, então Klarieke decidiu adotá-lo em definitivo, batizando-o com o nome de Charlie.

"Podemos dizer oficialmente que Charlie mudou-se para a nossa casa e temos um quarto gato. Ele vem para a cozinha na hora do jantar e nos permite acariciá-lo e até mesmo pegá-lo no colo”, concluiu a holandesa.

Gatos são ou não animais solitários?

Gatos são conhecidos por serem independentes e não muito sociáveis, mas isso depende do gato e da situação. A natureza territorial deles geralmente começa a aparecer na fase adulta. Os filhotes gostam de companhias para suas brincadeiras principalmente se o outro for da mesma ninhada, mesmo os filhotes sendo mais sociáveis tem alguns que não gostam do convívio com outros animais.

Se seu gato já é adulto e você está procurando um novo amigo para ele, procure por um que tenha mais ou menos a idade parecida e com a mesma energia do seu, pois se o seu for mais velho e você adotar um mais novo, com certeza haverá brigas e discussões, pois o mais velho quer dormir e o mais novo quer brincar, havendo conflito de interesses.

Os gatos quando apresentados corretamente tendem a fazer amizade, mantenha-os afastados de início, assim, aos poucos, vão se familiarizando com o som e cheiro um do outro. Cada um necessita do seu pote de comida e da sua caixinha de areia, e claro, sempre que tiverem juntos dê guloseimas, assim entenderão que estar perto um do outro é bom.

Como dá para perceber, os gatos necessitam de companhias, tanto quanto nós, seres humanos!

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.