Macaco rouba celular de jovem e tira selfies antes de descartá-lo

Apesar do furto e da tentativa de ser devorado, o celular foi localizado funcionando e com selfies do ‘ladrão’.

Sejam domésticos ou não, os animais estão cada vez mais espertos e bobo é quem ousar subestimá-los. Quando acordou e percebeu que o seu telefone havia sumido, o jovem Zackrydz Rodzi, de 20 anos, pensou que a sua casa localizada em Johor, Malásia, havia sido roubada.

No sábado, 12 de setembro, ele acordou e ao analisar melhor, descartou a hipótese de assalto ao ver que não havia sinais de arrombamento. Ainda a procura do celular, Rodzi ligou para o número de outro telefone, ouviu tocá-lo e, para a sua surpresa, o som vinha de uma selva próximo à sua casa.

Foto: Twitter / @Zackrydz
Foto: Twitter / @Zackrydz

O jovem localizou o celular, que apesar de estar embarrado e sujo, estava funcionando. Em busca de pistas, ele foi olhar imagens da sua galeria e surpreendentemente identificou o ladrão: um macaco.

O meliante deixou rastros através de selfies e fotos tentando comer o celular. Super comum, né? Aparentemente o objeto não pareceu muito saboroso e então o seu macaco resolveu descartá-lo, para a sorte de Rodzi.

Foto: Twitter / @Zackrydz
Foto: Twitter / @Zackrydz
Uma situação hilária - e inusitada - dessas não poderia passar em branco, então Rodzi compartilhou a história com seus seguidores do Twitter, que claro, fez o maior sucesso. “Eu não sabia que havia um macaco morando na minha área residencial, mas maldito macaco, você tornou minha vida miserável nos últimos dias”, escreveu na legenda. Confira um dos momentos capturados pelo macaco:

Aparentemente, ele tem uma espécie de ficha criminal, com os vizinhos de Zackrydz contando que seus telefones haviam sido roubados pelo primata no passado. Sempre bom verificar se as janelas estão fechadas antes de dormir, né?

Ana Caroline Haubert

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com

Comentários