Cadela pastor alemão segura tigela na boca para comover visitantes de abrigo a adotá-la; vídeo

Por
em Notícias
A primeira impressão de quem a vê é de que ela está passando fome e precisa de carinho. Isso, porém, é uma estratégia dela para sensibilizar as pessoas. Bem espertinha, né?

Como os animais não falam, eles buscam se expressar de outras maneiras, igualmente convincentes. Essa cadela, da raça pastor alemão, aplica uma técnica irresistível para ser notada pelos visitantes do abrigo onde vive no Texas.

Athena, de 6 anos, fica segurando a sua tigela de comida e faz um olhar doce capaz de conquistar o coração de qualquer pessoa que a veja. Essa é uma das maneiras que ela encontrou para ser notada e, quem sabe, ser adotada.

A cadela teve uma vida difícil e foi encontrada em péssimas condições por trabalhadores da construção civil em um canteiro de obras no último mês de setembro. No momento, tudo o que os trabalhadores puderam fazer para ajudar Athena foi dar água e contatar o resgate local.

Voluntários do abrigo Be Intentional foram até o local resgatá-la e depois de alguns exames veterinários, foi descoberto que a sua saúde estava tão ruim quanto a sua aparência.

Desnutrida, Athena tinha todos os tipos de parasitas que se pode imaginar em seu sistema, além do pior caso de sarna que o veterinário que a atendeu já viu, como relatou a fundadora do Be Intentional, Christie Kasko, em entrevista ao The Dodo.

O passado difícil, no entanto, ficou para trás e ela está recebendo todos os cuidados necessários no abrigo, mas claro que não há nada de errado em fazer um charminho para os visitantes, né?

“Ela recebe muita atenção e muita comida. Mas ela descobriu que segurar sua tigela com seu rostinho bonito tende a deixá-la mais carinhosa", declarou Christie.

Agora, Athena está sendo treinada e socializada para quando for adotada se sentir à vontade com a sua nova família.

Veja o vídeo:

Como cuidar de um cão que foi resgatado e que teve um passado triste

1. Seja paciente com seu animal, pois para um cachorro resgatado o mundo pode ser opressor e até se socializar levará um tempo.

2. Faça ele se sentir seguro, evite gritos ou ruídos altos pois pode o assustar. Faça um 'porto seguro' para ele, onde ele tenha um cantinho aconchegante para se refugiar quando se sentir amedrontado.

3. Não tente discipliná-lo de imediato, ele já tem traumas da rua pelos gritos ou tom de voz mais alto que recebeu. Ao contrário, ignore o mau comportamento e o recompense quando tiver boas atitudes, com amor e paciência ele entenderá o que é certo ou errado.

4. Esteja preparado para enfrentar seus problemas de saúde, certamente, pelas dificuldades que passou, o cão ou gato terá alguma sequela.. Mas com amor, carinho e dedicação, com certeza ele se recuperará rapidamente.

5. Permita que ele tenha contato com outros cães, a convivência permitirá que aos poucos ele esqueça o passado sofrido que viveu.

6. Ao adotar, saiba o máximo da história e do comportamento dele para poder lidar melhor com seu novo animal de estimação.

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com