Família devolve filhote de 4 meses após teste de DNA mostrar que ele é 25% pit bull

Por
em Notícias

A história de um cachorrinho de apenas quatro meses que foi covardemente devolvido por seus adotantes dias após ter sido acolhido foi divulgado no site Pet Rescue Report. O motivo? Um teste de DNA mostrou que ele é 25% pertencente à raça pit bull.

“Eu não fiz nada de errado, ao contrário, fui o filhote perfeito. No entanto, quando minha família percebeu minha porcentagem de raça, eles insistiram que não poderiam ficar comigo de jeito nenhum”, postou a ONG Home for Good Dog Rescue nas redes sociais.

Apoio

Batizado de "Dinki", o cachorrinho recebeu apoio dos funcionários do abrigo e de milhares de usuários nas redes sociais - muitos dos quais se ofereceram para adotá-lo. Um novo lar adotivo deve ser encontrado muito em breve para ele.

Segundo a ‘Home for Good’, o animal preto e branco pesa 10kg e "provavelmente" será bem grande quando adulto.

O abrigo o descreve como brincalhão, social e muito divertido. Ele adora animais e crianças e será um companheiro de família perfeito. Confira o post na íntegra:

Preconceito com os pit bulls

O nome pit bull, é um termo usado para se referir a muitas raças que compartilham de qualidades semelhantes: American pit bull terrier, American Staffordshire terrier, American bully, Staffordshire bull terrier e, às vezes, o bulldog americano (é claro, isso também inclui qualquer vira-lata que possua as características comportamentais e físicas comuns às raças mencionadas). O preconceito se dá pelo fato dessas raças serem temperamentais e propensos a atacar, tornando-os temidos por grande parte das pessoas. Mas, como sabemos, tudo depende da criação. Como qualquer outra raça, os pit bulls necessitam de direção e limite, e é essencial oferecer-lhes amor, segurança e carinho.

Receba nossas notícias no Whastapp! Entrar no grupo

Gabriel Pietro têm 20 anos, é redator e freelancer. Fundou o Projeto Acervo Ciência em 2016, com o objetivo de levar astronomia, filosofia e ciência em geral ao público. Em dois anos, o projeto alcançou milhões de internautas e acumulou 400 mil seguidores no Facebook. Como redator, escreveu para vários sites, como o Sociologia Líquida e o Segredos do Mundo. Ainda não sabe se é de humanas ou exatas, Marvel ou DC, liberal ou social-democrata. Ama cinema, política, ciência, economia e música (indie). Ainda tentando descobrir seu lugar no mundo.