Cachorro abandonado em frente a prédio com placa escrito "não deixem o cão entrar" é ajudado e ganha novo lar

O cãozinho Bruno se encontrava completamente sozinho e triste, mesmo parecendo saber onde era o seu lar. Felizmente, a sua realidade mudou.

Por
em Notícias

Muitas pessoas se julgam superiores aos animais, mas a verdade é que poucas são capazes de amar como eles amam. Logo, quem tem muito a aprender com eles, somos nós.

A história do cãozinho Bruno, divulgada no site The Dodo, ilustra isso muito bem. Ao encontrar Bruno sozinho e confuso em uma esquina na Argentina, Lujan Videla e o seu namorado se aproximaram para tentar entender a razão que o deixou nessas circunstâncias.

Além de manso, Bruno mostrou ser muito esperto ao conduzir o casal até a portaria de um prédio, que eles acreditaram ser o local que ele morava. Além da porta fechada, havia outra questão que impedia o acesso do Bruno no prédio, um cartaz escrito "não deixem o cão entrar".

Sem saber o motivo que levou alguém a escrever tamanho absurdo, o casal não hesitou em levar o doce cão para a sua casa. Por mais acomodado que estivesse, Bruno demonstrou tristeza por ter sido afastado do que poderia ser o antigo lar.

Depois de alguns dias recebendo muito carinho, atenção e cuidado, Bruno começou a apresentar outra expressão, muito mais animada. Porém, como o casal já abrigava outros cães de resgate, Bruno não pôde permanecer com ele, mas eles já haviam um destino certo para ele.

Bruno foi adotado por uma família que mora próximo ao casal.

“Ele foi adotado por uma pessoa muito confiável que mora do outro lado da rua de onde eu moro”, disse Videla. “Vamos passear juntos. Ele está muito feliz”, relatou.

Apesar da infeliz situação que Bruno se encontrava, agora ele pode desfrutar de uma nova e feliz vida.

“Algumas pessoas não percebem que são seres vivos que se sentem iguais a nós. Bruno é como um cachorro novo”, expressou Videla.

O que fazer pelos animais de rua

Não são poucos os casos de cachorros abandonados ou criados nas ruas. Quase sempre quando saímos para trabalhar, passear ou caminhar, nos deparamos com um animalzinho nessas condições. Não é possível adotar todos ou alimentá-los diariamente, então se você faz parte daqueles que tem o desejo de ajudar, contribua com um abrigo local, esse auxilio dará condições que pessoas possam recolher o maior número de animais nas ruas e evitar a procriação deles. Não maltrate, ajude!

Jovem (mais na idade do que na postura), curiosa (quem, o quê, onde, como, quando e por quê), analítica (sempre em busca de respostas), e estudante de jornalismo. Com sede de conhecimento, tem calafrios de rotinas monótonas e repetitivas. É ainda, inconformada com mais do mesmo, buscando dessa forma, descobrir o seu lugar no mundo. Prazer, sou Ana Caroline Haubert, gaúcha lá de Passo Fundo. Sugestões, críticas, pautas e opiniões são bem-vindas no meu email: caroline_hauber@hotmail.com